Transglobal Indie: a configuração das cenas de rock independente do Porto e de Fortaleza pelas ruas das cidades (1980-2020)

Projeto de doutoramento “Transglobal Indie: a configuração das cenas de rock independente do Porto e de Fortaleza pelas ruas das cidades (1980-2020)”

Referência: SFRH/BD/140040/2018

Área científica: Sociologia

Instituição proponente: Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP)

Instituição de acolhimento: Instituto de Sociologia da Universidade do Porto (IS-UP)

Orientação: Paula Guerra (IS-UP)

Cronograma: setembro 2018-agosto 2021

Resumo: A investigação tematiza a relação entre músicos autointitulados “independentes” e o poder público de suas cidades. Nesse sentido, trata-se de uma investigação acerca da relação entre artistas e o Estado, ou entre o campo cultural e o campo do poder. A pergunta que serve de deixo para a investigação é: o que significa “independência” para músicos que se dizem independentes mesmo atuando com o apoio da câmara municipal de suas cidades? Se é possível se dizer “Independente” mesmo trabalhando nesses termos, então, que definição de independência é essa? Porque é tão importante dizer-se independente e de que maneira essa categoria opera como uma insígnia de prestígio, ou seja, como um signo de distinção social?

Beneficiadores finais/população-alvo: Músicos independentes, gestores de políticas públicas voltados para o campo cultural, sociedade civil consumidora de cultura.

Investigador responsável: 
Pedro Martins de Menezes
Investigadores participantes: 
Estado: 
Financiamento: 
Sim
Âmbito do financiamento: 
Nacional
Montante do financiamento: 
Entidade financiadora: 
Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT)
Ano de início: 
2018
Ficheiro: