Os primeiros comunistas portugueses: a institucionalização de um partido e as trajetórias de militância

Projeto de doutoramento “Os primeiros comunistas portugueses: a institucionalização de um partido e as trajetórias de militância”

Referência: UI/BD/150779/2020

Área científica: Sociologia dos Partidos Políticos; Sócio-história

Instituição proponente: Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP)

Instituição de acolhimento: Instituto de Sociologia da Universidade do Porto (IS-UP)

Orientação: Virgílio Borges Pereira (IS-UP); Co-orientador: João Madeira (IHC-FCSH)

Cronograma: outubro 2020-outubro 2024

Resumo: Este projeto procura aprofundar o conhecimento científico na área da sociologia dos partidos políticos, tendo como objeto de estudo o processo de institucionalização do Partido Comunista Português, no tecido social português, entre os anos de 1921 e 1943. De modo a enfrentarmos a problemática da institucionalização de um partido, definimos como principal foco de análise o estudo prosopográfico dos militantes comunistas. Este estudo permitirá apreender regularidades nas redes sociais do partido e, por conseguinte, mapear os nós centrais no recrutamento e propagação das ideias do partido comunista. No mesmo sentido, perante a situação existencial que marcou o processo de institucionalização, pretendemos enquadrar a teia de relações entre militantes comunistas – não só no campo partidário mas, também, face ao Estado Novo e à repressão política. Desta forma, propomos uma estratégia metodológica que será complementada por técnicas de investigação, de diversas áreas do conhecimento, assentes numa análise no nível mesosociológico.

Investigador responsável: 
André Costa Pina
Investigadores participantes: 
Estado: 
Financiamento: 
Sim
Âmbito do financiamento: 
Nacional
Montante do financiamento: 
Entidade financiadora: 
Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT)
Ano de início: 
2020
Ficheiro: